Opinião do Professor Walério Melo

NOSSOS DIRIGENTES ENXERGAM O FUTEBOL COM OS ÓCULOS DO SÉCULO PASSADO

Após a Copa de 2014, ingenuamente, pensei que o futebol brasileiro iria entrar num processo de evolução um tanto quanto acelerado, no entanto, continuamos a passos de tartaruga. A CBF continua sendo dirigida por mafiosos que não querem mudança alguma, pois o único objetivo da máfia é usar o futebol em benefício próprio.  As federações pertencem à rede mafiosa e cada uma delas é semiautônoma e comanda seu próprio crime organizado, mas todas devem uma fidelidade suprema ao Capo di tutti i capi, ou seja, o chefão supremo de todos os chefões, que ocupa a cadeira de presidente da CBF. 

Os presidentes de clubes que poderiam mudar tudo isso, infelizmente não fazem absolutamente nada além de se sujeitarem aos desmandos de uma confederação corrupta e à exploração das federações que cobram taxas abusivas para promover campeonatos estaduais totalmente ultrapassados. Nossos dirigentes de clube não possuem preparo algum para dirigirem o futebol do século XXI, pois, a maioria deles enxerga o futebol com os óculos do século passado. 

Os considerados grandes clubes do futebol brasileiro são os principais responsáveis pelo estado em que se encontra o futebol do Brasil. Eles são os representantes de mais de cento e sessenta milhões de torcedores brasileiros, porém não fazem nada e o pior, corroboram com esse nível baixíssimo de gestão imposto pela CBF e pelas federações estaduais.

O atraso que domina nossos clubes começa pela estrutura de poder existente que é muito rígida e tocada por diretores com mentalidade administrativa ainda dos anos oitenta do século XX. E desde aquela época o futebol no mundo mudou, evoluiu muito e aqui no Brasil vivemos uma crise muito profunda, porque não temos gestão, profissionalização ou governança. 

Nossos treinadores são autodidatas. Não existe uma escola de formação para técnicos de futebol no Brasil, que seja reconhecida mundialmente. Fora isso, a categoria é completamente desunida. A maioria daqueles que conseguem certo status, se acomodam com a situação, pois sabem que ao serem demitidos, logo estarão sendo contratados por outro clube. Tem técnico no Brasil recebendo salários de dois ou mais clubes simultaneamente. 

Dentro do campo, apesar de ainda termos o melhor futebolista do mundo, assistimos um jogo de baixa qualidade tático-tecnica, pois as metodologias de ensino-aprendizagem-treinamento utilizadas no dia-a-dia pelos nossos treinadores são baseadas em conceitos tecnicistas, onde o foco maior da periodização recai sobre o aspecto físico.

Estamos a exatos um ano da Copa da Rússia e pouco se mudou no futebol brasileiro desde os 7 a 1 de 2014. Portanto não se iludam com o estilo “pastoram” do atual técnico do selecionado brasileiro. Para finalizar deixo o seguinte questionamento: ele, o Tite é

realmente muito bom ou o seu antecessor é que não sabia absolutamente nada sobre o futebol jogado no século XXI ???????

  

Publicado em:18/06/2017
Autor:Prof. Walério Melo

Compartilhe:

     


Comentar: