Com honras militares, heróis da Chapecoense e demais vítimas deixam Medellín rumo a Chapecó

Sob forte emoção e aplausos dos colombianos, os corpos dos jogadores da Chapecoense embarcaram rumo ao Brasil por volta das 16 horas (19h no horário de Brasília), em Medellín, na Colômbia. Antes do embarque, os corpos percorreram ruas da cidade em cortejo fúnebre, acompanhado por demonstrações de carinho e homenagens do povo local.

As três aeronaves Hércules da Força Aérea Brasileira (FAB) foram até a Colômbia para levar os corpos até Chapecó, onde neste sábado será realizado o velório. A última viagem das vítimas do voo da companhia aérea colombiana LaMia começou por volta das 12h40 de Medellín, onde saíram da funerária San Vicente em cortejo à base militar do aeroporto, cerca de 35km distante. Nas duas horas de deslocamento, mais carinho e comoção.

Os colombianos saíram às passarelas e ruas para aplaudir. Alguns carregavam bandeiras ou camisas do Nacional de Medellín, time que enfrentaria a Chapecoense na final da Copa Sul-Americana, na quarta-feira. Outras pessoas levaram nas mãos lenços brancos. Nas casas, bandeiras do Brasil e muita gente no portão acompanhou atentamente o cortejo, que fez a prefeitura fechar as ruas para o trânsito.

No trajeto, o prefeito de Chapecó, Luciano Buligon, mostrou-se muito emocionado. Quando avistou moradores que saudavam o cortejo, ele se dirigiu ao grupo com palavras de agradecimento, relatou o jornal El Colombiano. “Muito obrigado. Chapecó estará eternamente agradecida aos colombianos por tanto carinho”. Em resposta, os colombianos responderam: “Que Deus abençoe”.

Na chegada à base área, militares brasileiros e colombianos se uniram para a cerimônia. Um corredor de militares demarcou o caminho dos caixões até a parte interna dos aviões. No trajeto, o aeroporto ficou silencioso. Apenas os acordes tristes da corneta demarcavam o lento avanço dos corpos. A bandeira da Chapecoense adornava o caixão. O escudo do clube, aliás, estava bordado no uniforme de alguns militares.

Antes de entrar no avião, a bênção de um padre local, com direito a referência à padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida. Jornalistas de vários países estiveram na pista do aeroporto para registrar as últimas e tristes imagens da equipe catarinense, que fez história a ser a primeira do seu Estado a chegar a uma final de competição internacional.

Os aviões saíram de Medellín e seguiram por um voo de quatro horas de duração para Manaus. No Amazonas, uma parada técnica de 1h30 para reabastecimento vai anteceder o trecho final. Serão mais 6h30 para Chapecó, onde no funeral, neste sábado, as vítimas voltam a ter uma despedida com emoção e mais aplausos.

O velório coletivo deste sábado, na Arena Condá, deve reunir mais de cem mil pessoas e mil jornalistas.

Confira a programação para o velório deste sábado

06:30 – Chegada da Comitiva da Presidência da República;
07:20 – Ato com as famílias;
08:00 – 09:00 – Chegada das aeronaves com as urnas;
09:30 – Encerramento do desembarque das urnas;
10:30 – Início do cortejo para a Arena Condá;
11:30 – Chegada na Arena Condá
12:00 – Início das homenagens na Arena Condá:
1. - Abertura;
2. - Histórico do Clube;
3. - Hino da Chape;
4. - Pronunciamento;
5. - Homenagens;
6. - Entrada das Bandeiras;
7. - Registro das vítimas;
8. - Mensagem do Papa Francisco;
9. - Honras Militares;
10. - Encerramento.

Acessos (Arena Condá)
• Abertura dos portões: 7:00
• Ala Sul – Somente pelo portão 3 (em frente à Loja da Chape/Rua Clevelândia);
• Alas Norte e Oeste – Acesso pela Rua Mal Floriano Peixoto, esquina com Índio Condá;
• Ala Leste – Acesso fechado.

Publicado em:02/12/2016
Autor:Agência Estado

Compartilhe:

     


Comentar: