Alan Ruschel já conversou com a família, diz boletim da Chapecoense

O departamento médico da Chapecoense divulgou na tarde desta sexta-feira (2) boletim atualizado sobre o estado de saúde dos sobreviventes brasileiros do acidente aéreo que deixou 71 mortos na Colômbia, na última terça-feira (29).

Conforme o boletim, nenhum paciente corre risco de morrer, já que as situações, apesar de críticas, foram estabilizadas. O lateral Alan Ruschel ainda inspira cuidados após ter sido submetido a uma cirurgia na coluna vertebral. Ele já conversou com a família e tem movimentos normais dos membros inferiores e superiores.

O goleiro Follmann, que teve uma das pernas amputadas, é o paciente que requer mais cuidados. Com quadro estável, ele seguia entubado na tarde desta sexta-feira, de acordo com a Chapecoense.

Último a ser resgatado com vida, o zagueiro Neto é considerado "clinicamente bem" e tem "boas perspectivas de melhora".

Com trauma no tórax e fratura na perna, o jornalista Rafael Henzel tem estado crítico. Contudo, o pulmão apresentou melhora e as perspectivas são "otimistas".

Além dos quatro brasileiros, o técnico da aeronave Erwin Tumiri e a comissária de bordo Ximena Suarez também sobreviveram. O goleiro Danilo também tinha sido resgatado com vida, mas morreu no hospital.

O acidente
O avião da LaMia, matrícula CP2933, decolou de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, com destino a Medellín com a delegação do time, jornalistas e convidados. Segundo as autoridades colombianas, a lista do voo tinha 81 nomes: 72 passageiros e 9 tripulantes. No entanto, a relação inclui quatro pessoas que não embarcaram

As duas caixas-pretas da aeronave foram encontradas. As autoridades britânicas anunciaram o envio à Colômbia de três investigadores para analisar a cena do acidente – o avião da companhia boliviana LaMia foi fabricado pela British Aerospace.

Publicado em:02/12/2016
Autor:Do G1 SC

Compartilhe:

     


Comentar: