PM retém torcedores do Corinthians no Maracanã para encontrar agressores

A Polícia Militar reteve torcedores do Corinthians após o final da partida contra o Flamengo no estádio do Maracanã. O objetivo era identificar os torcedores que participaram de uma confusão antes do jogo e agrediram um PM. Quase três horas depois do jogo foi quando começaram a ser liberados os membros das organizadas, sendo que 40 foram detidos e levados a delegacia para prestar depoimento.

"Eles serão apresentados à autoridade policial, o delegado lá da Central de Garantias da Cidade da Polícia e as autuações serão feitas a partir das identificações dos torcedores apreendidos. O que agrediu, o que apenas incitou... Todas as ocorrências lá serão desmembradas e aí fica a critério do delegado de plantão fazer as autuações", esclareceu o Major Sílvio Luiz.

Na operação, as mulheres que estavam na torcida organizada foram liberadas e ficaram ao lado de fora aguardando os homens para poderem ir embora. Nas arquibancadas, os integrantes das organizadas foram vistos sem camisa durante a averiguação da polícia, que estava em busca de identificar a tatuagem de um dos agressores. 

"A identificação foi feita através de fotos e imagens. Os agressores aos policiais foram identificados e todos foram conduzidos para a Cidade da Polícia na Central de Garantias. São 40 detidos. Muitas identificações foram feitas através de tatuagens para facilitar", explicou o Major Sílvio Luiz.

Ainda no intervalo da partida, os policiais pediram para os integrantes das torcidas organizadas descerem com todos os materiais para fazerem uma averiguação. Mas na volta para o segundo tempo, esses torcedores retornaram.

O policial agredido passa bem, apesar de estar com as marcas da agressão, não precisou ser encaminhado ao posto médico do estádio.

O clássico entre cariocas e paulistas terminou empatado em 2 a 2. Com o resultado, a agremiação rubro-negra ficou com 61 pontos, um pouco distante da briga pelo título, já que o Palmeiras derrotou o Sport e abriu seis pontos de vantagem. Já os alvinegros agora somam 49 pontos e entraram na zona de classificação para a Copa Libertadores do ano que vem, na sexta posição.

"Aqui em São Paulo, já prendemos mais de 350 torcedores violentos. É preciso que todos se unam. Não havia necessidade de eles estarem no Rio de Janeiro se não destinassem uma carga de ingressos à torcida uniformizada, poderiam destinar a famílias, ao torcedor comum. Se pegar todos os crimes dano qualificado, lesão corporal, formação de quadrilha, poderíamos ter por volta de sete anos. Mas é preciso mantê-los presos. Se forem liberados, vão levar o B.O. como troféu. Eles têm que ficar presos, ou serem afastados dos estádios até o fim do processo", comentou Paulo Castilho, promotor do Ministério Público.

Publicado em:23/10/2016
Autor:Fonte: Do UOL

Compartilhe:

     


Comentar: